sábado, março 20, 2010

Uma última carta de amor

Ei Amor...

Não sei o real motivo que me fez escrever esta carta... medo de te perder, vontade de desabafar, querer acelerar o tempo pra voltar a viver momentos agradáveis juntos.

Sei que a coisa não tá boa. Estamos juntos mas afastados. Distantes. Queria - e quero - tanto você ao meu lado.

Sei que às vezes sou muito chato. Falo demais. Cobro demais. Mas eu estou carente de você, entende? Minha vontade de você não passa. É vontade de viver ao seu lado. Sair. Sorrir. Emocionar. Viajar. Dormir. To sentindo sua falta. Talvez isso explique meu comportamento...

Quanto mais penso em você, mais penso nos bons momentos que vivemos e sinto mais vontade de viver junto a ti.

Lembro de sentir meus joelhos tremerem a cada vez que te descobria um pouquinho.

Lembro do nosso primeiro beijo.

Lembro do seu primeiro choro. E como nas vezes que chorou, fiquei com o coração apertado, querendo, inutilmente, fazer algo pra te ver sorrir.

Lembro da música que escrevi pra ti e não está mais aqui.

Lembro de como fazer carinho em seus pés.

Lembro de cada beijo apaixonado que demos.

Lembro de como fico com frio na barriga a cada vez que te vejo mais linda.

Lembro de cada presente que você me deu. Sinto seu carinho quando uso cada roupa.

Sinto vontade de contar pro mundo que você é mulher da minha vida.

Sinto vontade de chorar - e acredite, choro - ao pensar na possibilidade de me separar de você.

Sinto que errei em algumas situações. Assim como você. Não somos perfeitos. Mas temos tudo pra ser perfeitos um para o outro.

Eu ainda sinto que você me ama. Meu coração não pode me enganar desta maneira. Nem o seu.
O tempo poderá lapidar nossa pedra.

Acredite na gente. Vamos fazer a coisa dar certo.

Beijos eternos...

4 comentários:

Jack Bianchi disse...

Sensacional essa carta, meio relato / desabafo. Batalhe e faça dar certo. Depois do que eu li aqui, estou na torcida total!!!!! Abração, meu velho...

cristiano_vieira disse...

Valeu Jack... mas já era!...

Pato disse...

Já era? Será?
Só o tempo e vcs dois podem falar isso! um abração!

Anônimo disse...

Como sempre as mais belas lindas palavras.
Não há respostas nem fim nesta história.
Mais uma vez vc deveria acalmar meu choro...