sexta-feira, janeiro 12, 2007

A Cura.

Por muito tempo andei descontrolado. Talvez meus amigos mais íntimos tenham percebido. Pensaram que era mudança. Gosto de mudança. Mutação é uma palavra que me diverte.
Mas eu estava desequilibrado. Ainda estou. Preciso de pessoas. Diversão. Essa é minha dose diária de ansiolítico e antidepressivo para não cair em qualquer divã. Nada contra os psicólogos e psiquiatras. Por favor não me entendam mal.
O fato de eu estar desequilibrado, ou admitir que já estive pior do que estou hoje, é um passo importante para minha cura. Parcial e depois total. Será que alguém fica 100% bom em alguma coisa na vida? Eu não acredito.
Engraçado, acho que meu desequilíbrio começou a aproximadamente 4 anos atrás. Assaltos em seqüências fizeram da minha vida uma busca incessante e diária atrás da felicidade plena e momentânea. Baladas, roupas, acessórios, bebidas. O céu é meu limite! E cada dia eu queria mais. Afinal, quem não quer um mundo de prazer?
As coisas ficaram mais sérias. Além do vício de sair, meu vício de comprar e me apegar às coisas foi aumentando. ALERTA! Trabalhar para pagar meu prazer e nada mais importava.
No fim do primeiro trimestre de 2006 meu mundo despencou. Resolvi que tudo aquilo que me incomodava e incomodou nos últimos 4 anos, seria descarregado no mundo. Minha ira e desejo de vingança seriam colocados à prova. Baladas como nunca outrora. Novas experiências marcariam minha vida. Pro resto da vida. Por momentos, e não foram momentos isolados coloquei minha pele em risco. Às vezes de amigos também. Péssimo!
E eu mal sabia que estava descarregando toda minha ira em frente ao espelho. Em minha própria cabeça.
Hoje eu sei disso. Consigo enxergar o que fiz. Óbvio que tudo tem um lado bom. E não é só o aprendizado. Muita coisa boa aconteceu em todos esses anos. E como! Conheci muitas pessoas interessantes. Acho que isso foi o melhor!
Quem ainda está ao meu lado, sabe o que estou falando. Sem citar nomes. Você sabe a importância que tem em minha vida. Você que, por mais que eu tenha pisado na bola, ou more longe ainda mantém um contato. Constante. Obrigado pela paciência. E continue comigo.
Hoje estou me livrando de coisas materiais. E me livro querendo me livrar. Me sentindo bem! Mais um passo em direção à cura. Fiquem comigo. Preciso de vocês.
Em breve, um próximo passo.
Até.

15 comentários:

Lorão disse...

Agora começo a entender!!

PaTi disse...

Poxa.. me identifiquei com a parte das baladas. A alegria de taberna tem seu preço alto. Eqto na euforia a gente esquece do mundo, o nosso mundo só pensa na gente. Que nem sábado, sem celular, chego em casa 8 da manhã sem saber nem que dia era... Recife inteiro já estava atrás de mim. Pense numa ressaca moral. Maldita tequila...
Bjo! Se cuida! E pode contar comigo. Vc sabe, né?

Anônimo disse...

gosto do que escreve

Anônimo disse...

o equilíbrío é a chave de tudo , no entanto, neste mundo pós moderno ... tudo que manda é o exagero, a rapidez, e nao processamos e nao pensamos.. fazemos ... e quando nos assustamos levamos nova vida para a direção contrária...
o mundo frenético ...

Anônimo disse...

sobre vícios : somos viciados em precisar .. precisamos de tanta coisa . que na verdade nao necessitamos. e viramos a vida para alcançar esta falsa felicidade .. e nao nos damos conta de que quase tudo é ilusão ... ou exagero ...

Anônimo disse...

"Fico ansioso em escrever. Escrevo rápido pra não gastar muito tempo. Escrevo errado. Muito errado. Queria ter uma revisora. Um dia terei uma revisora." idem , risos
penso mais rápido que escrevo ... medo de perder as palavras ...

Cristiano Vieira disse...

Quem é vc?

Anônimo disse...

me identifiquei com o que escreve . com muita coisa... outras nao ... já leu clarice lispector? vai gostar. alias, deve gostar. pelo seu jeito de escrever posso supor isto.

Anônimo disse...

leia o conto "felicidade clandestina" o livro tem o mesmo nome .talvez goste

Anônimo disse...

msn?

Cristiano Vieira disse...

cristiano_vieira@hotmail.com

Anônimo disse...

entrarei hoje! ate ps: escreva mais ... risos!

Anônimo disse...

"Sabe-se lá se é verdade absoluta"
nao ha uma verdade absoluta... a verdade é filha de seu tempo ... é uma construção ... construções sao infinitas e variadas ... e para mim , é isto que faz da vida algo tao difícil e tao fascinante ... escolher uma "verdade " é uma das tarefas mais difíceis ... ainda mais quando temos consciência desta relatividade ... estou em um momento assim ... tudo se tornou tão relativo que nao consigo tomar uma decisão com o de certeza ...

Anônimo disse...

com o mínimo de certeza... (as plavras que se perdem no caminho ...)

Anônimo disse...

"Fui correr" = um vício ... uma terapia ... a saída ... tudo de bom...