quinta-feira, janeiro 11, 2007

O vício.

Todos somos viciados.
Essa afirmativa nada tem ver com drogas, especificamente.
O vício raramente é uma dádiva. Apesar disso muitas pessoas se gabam de ser viciadas em coisas, teoricamente, boas. Esportes, música, saúde, alimentação, leitura, escrita e daí por diante. Inúmeros exemplos a não ser seguidos.
Muitas vezes o vício vem acompanhado do fanatismo, da catequização. E isso não é bom. Por mais discreto que seja, pense! Aposto que você já se pegou querendo levar um amigo seu pro seu lado, seja qual for. Certo? Tenho certeza que sim.
Não escrevo esse texto pensando em criticar ninguém. Pelo contrário. Tenho muitos vícios. Vícios a valer! Da escrita ao exercício. Da cerveja ao sorriso. Da música à…
Escrevo, pois tenho pensado muito nisso e queria compartilhar. Queria mexer com sua cabeça e saber o que você pensa. Fazer você pensar. Te escutar.
O equilíbrio pode ser o primeiro passo para uma melhora. Vários vícios. A ponto de ter tantas coisas a fazer todos os dias que nenhuma delas, ou nenhum de seus vícios, tome tanto tempo. Assim, o vício deixa de ser vício. Certo? Ou não? Confuso. Confundo.
Vícios a parte, continuo com os meus. Perdendo antigos, adquirindo novos. E assim o meu vício de coisas novas vai sendo alimentado. A cada dia. Por você, ou não. Goste você ou não.
Será que tenho cura? Preciso? E você?

2 comentários:

Lorão disse...

Oh my God! Tenho um amigo viciado...hahaha. Bjo

Lorão disse...

Mais um comentário! Acabei de ver uma frase, a "sorte de hoje" no orkut; "O vicío de hoje pode se tornar a virtude de amanhã". Profundo ein... rs Abs.