segunda-feira, agosto 07, 2006

Gangorra

Todos no mundo já gangorraram uma vez. Afinal de contas, não é necessário o brinquedo em si pra poder gangorrar, correto?
Cada um do seu jeito. Em pé, assentado, de joelhos, o que interessa na brincadeira é o vai e vem. Mais rápido! Mais alto! Mais forte!
Sensação boa. Sentir o vento no rosto. Sensação de liberdade quando não encostamos os pés no chão. Frio na barriga quando não estamos vendo pra onde o gangorrar nos leva. Um misto de apreensão, desejo, ansiedade e adrenalina quando vamos cada vez mais alto.
É bom! Só ou acompanhado.
Há muito tempo não sento em uma gangorra. Brincadeira de criança. Hoje minha bunda é maior que o assento. Rs... Engraçado isso. Nem todas as gangorras me servem mais. Meu peso também me coloca medo. Medo de gangorrar e cair de cara. Mico total! Gangorrar é bom, cair não. Não é bom e não faz parte.
Vai e vem da vida.
Ser criança é bom. Será que um dia vou crescer? E quando eu crescer? Será que gangorrar vai perder a graça? Vai saber... Até o dia em que eu possa brincar com meu filho ou minha filha. Ver as expressões em seu rosto. Sorrisos. Talvez aí eu prefira ajudá-lo a brincar, à brincar. Até lá eu vou brincando, gangorrando, experimentando esse vai e vem, o sol no corpo, o vento no rosto, o frio na barriga.

2 comentários:

Rita disse...

Oi!!
Nossa seus textos são mto lindos!!
Parbéns!!
Dá pra refeltir bastante.
Sou amiga do Pedro seu vizinho!!
Abraços, Rita...

Cristiano Vieira disse...

Valeu Rita! Fico feliz com seus elogios.
Infelizmente, não consigo escrever tanto quanto gostaria mas sempre vou publicar coisinhas novas aí, ok?
Um abraço.